quarta-feira, 18 de abril de 2012

PEÇA TEATRAL: PASSEIO NA ALDEIA

PASSEIO NA ALDEIA
 Wesley  foi visitar uma aldeia indígena e ficou muito impressionado com nossos amigos índios, que têm muita preocupação em preservar os valores de sua raça, que eles não consideram em nada, inferior à raça branca. Enquanto espera o menino índio que vai acompanhá-lo em sua visita, Wesley foi informado que Peri estava caçando.
 _ Wesley- Você só caçou isso?
 _ Peri- Sim, é só o que preciso para comer.
_ Wesley – É verdade que vocês sabem quando os animais são fêmeas e não os caçam?
_ Peri – Sim, aprendemos com os mais velhos, quando o animal é fêmea, assim podemos preservar as espécies.
  _ Wesley – Como você pode saber?
 _ Peri – É fácil, pelo tamanho das pegadas!
 _ Wesley – Para mim são todas iguais. E os peixes?
 _ Peri – O que há com os peixes?
 _ Wesley- Quando você pesca não tem pegadas para saber se é fêmea ou não.
_ Peri – Você nunca ouviu falar em Piracema? É a época em que os peixes sobem o rio para desovar, você pode apanhá-los com a mão. Mas nesse caso, é um crime apanhar peixe e existe até lei proibindo isso. Uma lei que o índio obedece sem Ter escrito e que o branco escreveu e nem sempre obedece.
_ Wesley – Puxa! Assim vou ficar envergonhado de ser branco; somos um povo que sabe escrever leis mas não sabe cumprí-las.
_ Peri – Pois eu  me sinto orgulhoso por pertencer a um povo que cumpre suas leis.